domingo, 21 de maio de 2017

O “golpe dentro do golpe” é entregar, em uma eleição indireta, a Presidência do país a Henrique Meirelles, com o aval da Globo.

Meirelles: um financista, vindo da J&F, no golpe dentro do golpe

Por SOS BRASIL SOBERANO · 20/05/2017 (373º dia do Golpe de 16)

O “golpe dentro do golpe” é entregar, em uma eleição indireta, a Presidência do país a Henrique Meirelles, representante histórico dos interesses do capital financeiro internacional e ex-executivo da própria J&F. Ele parece ter credenciais melhores do que as de Michel Temer para fazer as reformas ultraliberais do projeto derrotado nas urnas – e que motivaram a derrubada da presidenta eleita, Dilma Rousseff –, pelo menos na avaliação dos atores que deflagraram o ataque recente ao governo Temer, uma articulação que uniu Grupo Globo, J&F (dono da JBS) e Procuradoria Geral da República.


Essa parece ser a aposta por trás da guinada súbita do noticiário da Globo, acometido de uma inusitada indignação republicana. O editorial “A renúncia do presidente” foi divulgado no meio da tarde da última sexta-feira (19) e pede a saída de Temer com base em uma argumentação que não se constrange, contudo, de usar a Constituição para defender eleições indiretas, depois de tê-la rasgado: derrubando a presidenta eleita e promovendo o desmonte do Sistema de Seguridade Social previsto no texto constitucional de 88.

Desde a última quarta-feira (17), a sociedade assiste perplexa a uma saraivada de acusações, áudios, vídeos, comentários, fotos, que constroem um roteiro de promiscuidade e ilícitos envolvendo o governo Michel Temer, parlamentares e partidos, de um lado, e a J&F, do outro. O fato de o atual ministro da Fazenda e potencial candidato à sucessão de Temer ter sido, até a queda de Dilma, executivo de ponta do grupo corruptor não mereceu destaque. Henrique Meirelles foi presidente do conselho de administração da J&F, de 2012 a 2016, e presidente do banco Original, controlado pela J&F, entre 2015-2016. Totalmente digital e criado como projeto pessoal de Meirelles dentro do grupo, o banco Original não vai bem. Em março deste ano, segundo o jornal Valor Econômico, o Original vendeu sua marca à J&F, sua própria controladora, numa operação de R$ 422 milhões, que permitiu ao banco fechar o exercício de 2016 com lucro. Sem o negócio, teria apresentado prejuízo operacional de R$ 278,6 milhões no ano.

Meirelles assumiu na J&F em março de 2012 com a missão de criar estratégias para a expansão da empresa dentro e fora do país. Em matéria da revista Exame, na ocasião, Joesley Batista, o delator e um dos donos da J&F, explicava a contratação: “O Meirelles não vai ser apenas um consultor. Vai cobrar resultados dos executivos e traçar estratégias para a expansão do negócio”. Nesse contexto, não é possível ignorar – política ou judicialmente – a participação altamente estratégica do ministro nas atividades da J&F.

Tirar um presidente por seu comprometimento com um grupo empresarial e substituí-lo por um ex-funcionário e estrategista direto do mesmo grupo não pode ter motivação republicana. O que se pretende, com a troca, é buscar legitimar o golpe dado na Presidência e que continua em curso, com ataques à vontade popular e à cidadania brasileira. (Desprezadas as demais motivações de ordem econômica puramente empresarial que podem estar envolvidas no lance, considerando que a JBS, controlada pelo J&F, é uma das maiores anunciantes do Grupo Globo).

Henrique Meirelles fez sua carreira no setor financeiro internacional. Começou no BankBoston em 1974, e lá ficou por 28 anos. Entre outras funções, ocupou a presidência da instituição no Brasil e na matriz – o BankBoston mundial. Em 1999, o banco se fundiu ao grupo financeiro Fleet, criando o FleetBoston Financial, também presidido por Meirelles. O engenheiro que virou financista acumula prêmios pelos serviços prestados ao setor bancário. Melhor Banqueiro da América Latina em 2006, Prêmio Lide de Personalidade do Ano, dado em 2010 pela organização lobista de João Doria Jr.; Prêmio Bravo Awards de Financista do Ano em 2008; Prêmio Emerging Market Awards de Melhor Banqueiro Central para América Latina, também em 2008.

Já foi do PSDB, do PMBD, e agora é filiado ao PSD, partido de Gilberto Kassab. Nenhuma sigla, contudo, reflete o compromisso fundamental de sua biografia: o setor financeiro internacional e as empresas transnacionais atreladas a ele, para os quais pretende entregar o Brasil. E já começou a fazê-lo, ao congelar os gastos públicos por um período de 20 anos, ao propor medidas que inviabilizam a aposentadoria e fomentam o mercado de previdência privada, ao atacar direitos dos trabalhadores, ou ao permitir uma política econômica sem um banco forte de apoio ao desenvolvimento, induzindo o BNDES a atuar com taxas de mercado, entre outras iniciativas que Meirelles defende em todos os eventos públicos de que participa.

Contra o golpe, e contra o golpe dentro do golpe, e quaisquer outras manobras que agravem as violações às instituições brasileiras, é preciso restabelecer legitimidade ao governo e desfazer as medidas recentes que não contam com nenhum respaldo popular: eleições gerais diretas. Já.

SOS BRASIL SOBERANO:
Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge)
Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge)

"Lula não pode ser inocente" - É o convite ao abuso, à injustiça e à perseguição. Tudo numa frase.

"Lula não pode ser inocente"

Os que acreditam que "Lula não pode ser inocente" até ontem acreditavam que Aécio era o "único caminho contra a corrupção nas eleições de 2014".

Por Fernando Horta - Via Facebook - 21/05/2017 (374º dia do Golpe de 16)

Veja como a linguagem trai. Os "anti" têm certeza "de que Lula não pode ser inocente". Veja que a certeza não é de que Lula é culpado. A diferença não é pequena.

Dizer que ele é culpado, surge como conclusão racional após algum tipo de raciocínio. Dizer que ele "não pode ser inocente" remete a uma profissão de fé que coloca o desejo como conclusão das ações. Pouco importa se Lula é inocente, "ele não pode ser".

A construção narrativa é a mesma feita sobre Goulart que não poderia se candidatar, em se candidatando, não poderia se eleger, em se elegendo não poderia governar.

Esta construção implica no ensejo de ações sociais com vistas ao fim de declarar Lula culpado. Faça-se tudo, mas ele "não pode ser inocente". É o convite ao abuso, à injustiça e à perseguição.

Tudo numa frase.

Fazer alguém que tem certeza da culpa de Lula perceber que não há nada contra ele é fácil. As provas inexistem.

Fazer alguém que tem certeza de que Lula "não pode ser inocente" é impossível. A vontade supera a racionalidade. Mesmo se o auto-convencido for um juiz.

Agora imagine confiar no julgamento de alguém que até quinta acreditava que Aécio era o "único caminho contra a corrupção nas eleições de 2014".

Será que quem votou em Aécio não ligou ao menos uma luzinha na consciência reconhecendo que seus julgamentos são falhos e mal embasados? 

Se erraram tão claramente com Aécio, não entendem que estão errando novamente afirmando que Lula "não pode ser inocente"?

sábado, 20 de maio de 2017

Aliança do Coliseu, liderada pela Globo, lançou a “Operação Patmos (Apocalipse)" para impor seu presidente biônico.

Aliança do Coliseu prepara a eleição de um presidente biônico

Sem manifestações de ruas, a Aliança do Coliseu, formada pela Globo e setores da burocracia estatal de caráter antinacional, nomeará o biônico pelo Congresso.

Por Ricardo Cappelli - Via Facebook - 19/05/2017

TIREM A FUMAÇA DOS OLHOS. GLOBO PREPARA O “IPPON”. TEM O COMANDO E CARTAS NA MANGA. CRIME PERFEITO EM CURSO. HAVERÁ FORÇA PARA UM CONTRAGOLPE?


Por que o jornalista Lauro Jardim teve o “privilégio” de dar “o furo do século”? Por que a Globo resolveu exigir a saída de Temer e colocar a família de Aécio no presídio no JN?

Teria a família Marinho dado uma súbita guinada à esquerda? Seria Lauro Jardim o mais competente jornalista de todo hemisfério sul?

Por que Meireles anunciou ontem ao mercado que, seja qual for o presidente, ele e sua equipe permanecerão? Quem lhe deu esta segurança?

Por que foram feitas sonoras com alguns Ministros do STF defendendo a manutenção das atuais regras constitucionais (indiretas)?

As revelações “exclusivas” da Globo são mais um capítulo da parceria de sucesso entre a emissora e setores da burocracia estatal de caráter antinacional que começou com o impeachment de Dilma e pode acabar instaurando uma “democracia de fachada” no país.

São eles que estão no comando. O “furo”, ou o vazamento, como queiram, foi milimetricamente planejado no jogo em curso. Temer e Aécio foram a “manga do kimono” dada de caso pensado. Querem utilizar a “força da suposta imparcialidade” para o grande golpe final.

Após o enfrentamento Lula x Moro ficou evidente a fragilidade de um contrato em branco para decretar a prisão de alguém. A partir daí foi colocada em curso a estratégia final.

Do lado do mercado foi ficando claro também a dificuldade de Temer aprovar as reformas.

A saída foi a “Operação Patmos (Apocalipse)”.
Obviamente que aparecerá munição pesada contra os governos Lula e Dilma em seguida.

As cartas estão com eles e serão usadas no momento certo.

Afastado Temer e destruído o PSDB, ninguém se levantará contra uma prisão “parcial” de Lula e outros da esquerda. Está em curso o Apocalipse do sistema político brasileiro.

Alguém lembra o que fazia Meireles até o ano passado?

Acertou quem respondeu que ele era um dos principais executivos do grupo....JBS, isto mesmo. Joesley está agora no seu apartamento de 45 milhões de dólares nos EUA, pelo acordo com “eles” não será preso nem usará tornozeleira eletrônica, é o segundo maior anunciante da..........Globo, e seu principal executivo (Meireles), garantido pelo Globo, continuará a comandar a economia do país sem os políticos com quem antes tinha que negociar. Existe crime perfeito só em filme? Parece que não.

A sanha da Globo por uma queda rápida de Temer reside no medo de que, se arrastando, possa levantar a população por Diretas, o que bagunçaria toda sua estratégia.

Os jornais de hoje são categóricos. Folha e Estadão pedem prudência, equilíbrio e racionalidade, o Globo fuzila.

As manifestações de ontem foram importantes, mas foram pão com mortadela. Nós com nós mesmos.

Se não ampliarmos rapidamente, a Aliança do Coliseu, formada pela Globo e setores da burocracia estatal de caráter antinacional, nomeará o biônico pelo Congresso.

Parte da esquerda se ilude com uma saída mediada no congresso. Com Rodrigo Maia no alvo e munição de sobra para ele e para seus deputados, dificilmente não ficarão de cócoras para a Globo. Teremos um governo biônico com a política de joelhos, um arremedo de democracia.

Conseguir colocar a população na rua parece o único caminho para tentar impor eleições Diretas, mas não será tarefa fácil. A população está anestesiada. Hora é de muita amplitude e mobilização.

Haverá força para um contragolpe? Dias difíceis pela frente. Infelizmente, o jogo é bruto, e vai piorar.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Exclusivo! Lula foi contratado pela Globo. Vem.aí "O SHOW DE LULA" - 24 horas no ar

Vem.aí mais um campeão de audiência: "O Show de Lula"

Da Redação Causa-me Espécie - 19/05/2017 (372º dia do Golpe de 16)

Fim do mistério. O que se desconfiava com a overdose de Lula nos telejornais da Globo, principalmente no JN, que chegou a dedicar 42 minutos ao presidente, confirma-se: Lula está contratado.

Além dos telejornais, Lula ocupará espaço em outros programas da emissora. Fará omelete na Ana Maria Braga, terá encontros com Fátima, dançará no Faustão, apresentará o Jornal Nacional ao lado de Dilma, participações especiais em novelas e talk show. No Fantástico, teremos a “Semana de Lula”. 

Novos confrontos MORO vs LULA continuarão sendo narrados por Galvão e exclusivo da emissora. 

A cereja do bolo desta contratação milionária será a estreia do Show de Lula em um canal exclusivo com Lula 24 horas por dia, 7 dias por semana, inspirado no filme “O Show de Truman – O Show da Vida”.
Show de Lula - Inspirado em O Show de Truman, com Jim Carrey
Plim Plim
Eventualmente daremos pausa nas transmissões do Show de Lula, dando a sensação que ele foi demitido, substituído por Aécio, Temer, Jucá e outros caciques, só que não. Trata-se de intervalo comercial para dar voz aos nossos patrocinadores e patrocinados. Fiquem tranquilos, Lula sempre volta com tudo!

Continuando
Lula será astro nos remakes de "Roque Santeiro", "Vale Tudo" e "Rainha da Sucata", fazendo par romântico com Regina Duarte.

Uma novela das nove inédita será escrita a cinco mãos: Glória Peres, Gilberto Braga, Walcyr Carrasco, Aguinaldo Silva e Manoel Carlos, abordando as várias fases da vida do maior líder popular da história do Brasil.

O folhetim mostrará ao Brasil e ao mundo o primeiro choro, beijo, transa, a primeira cachaça de Lula, abordando além da sua infância e juventude, a maior inclusão social da história da humanidade, com a retirada de 26,3 milhões de pessoas da miséria, passando pela transposição do "Velho Chico" e a maior perseguição jurídica/midiática nunca antes vista na história deste país, com participação especial de Dilma Rousseff.

A última fase será O Triplex - 3º mandato de Lula, que se iniciará em 01/01/2019. Se não houver novo golpe no Brasil.

O nome da novela será sugerido e decido pelo público através de enquete.
Exclusivo: Lula poderá ser Sinhozinho Malta em remake de Roque Santeiro
MeninOs do JÔ
Finalmente sairá do forno o programa "MeninOs do JÔ - Vida Inteligente na Madrugada", gestado em 2013, com a participação dos blogueiros progressistas: Paulo Henrique Amorim, Luis Nassif, Eduardo Guimarães, Luiz Carlos Azenha, Miguel do Rosário, Paulo Nogueira e grande elenco.

Os Dias Eram Assim?
Algumas cláusulas do contrato entre Lula e Globo:
a) A emissora pedirá desculpas à Nação por ter apoiado o Golpe de 16 e de 64, admitindo que o apoio ao golpe de 64 não foi tão somente editorial. Além de se comprometer, em cartório, a não mais apoiar golpes no próximos 50 anos, sejam militares ou parlamentares. #StopCoulpInBrazil
b) A verdade é dura. Nas próximas novelas e minisséries sobre o golpe de 64, a Globo se compromete a abordar seu apoio à ditadura.
c) O donos da Globo irão propor ao Congresso (brasileiro) a regulamentação da mídia, abrindo mão do seu monopólio, tomando como base a regulação americana e britânica. Enfim, regulamentando os artigos 220 ao 224 da Constituição Cidadã de 88.
d) Propaganda Governamental Zero - A Globo se compromete a não mais aceitar um centavo em propaganda governamental, seja dos governos federal, estadual e municipal. Válido em todo território nacional.
e) Os telejornais da tv aberta (sic) e Globonews passarão a seguir, de fato, os pilares dos princípios editorias da emissora: a isenção, a correção e a agilidade.
f) "Pejotização" Zero. Lula terá Carteira de Trabalho assinada, nada de contrato como pessoa jurídica (PJ). Além de receber um percentual do "merchan", vendas de produtos, pixulecos, DVD, etc.
g) Lula doará toda a renda (inclusive salário) às entidades assistenciais, dentre elas a APAE.

Outro lado.
Procurada, a Globo não respondeu, porém fontes tem relatado que a grade de programas da emissora será alterada com a estreia do Show de Lula, que divulgamos aqui com exclusividade:

De segunda à sexta
• 06:00 - Bom Dia Lula
• 07:30 - Bom Lula Brasil
• 08:50 - Mais Lula
• 10:10 - Bem Lula
• 10:50 - Encontro com Lula
• 12:00 - Lula TV - 1ª Edição
• 12:45 - Lula Esporte
• 13:20 - Lula Hoje
• 14:00 - Lula Show
• 15:00 - Sessão do Lula
• 16:45 - Vale a Pena Ver Lula de Novo
• 17:45 - Lulação
• 18:15 - Novo Lula
• 19:10 - Lula TV - 2ª Edição
• 19:30 - Lula Story
• 20:30 - Lula Nacional
• 21:15 - A Força do Lula
• 22:30 - Lula Repórter
• 23:20 - O Lula Era Assim
• 23:55 - Jornal do Lula
• 00:35 - Conversa com Lula
• 01:20 - Corujão do Lula

Sábados
• 15:00 - A Estrela de Lula
• 16:00 - O Caldeirão do Lula

Domingos
• 05:30 - Santa Missa com Lula
• 08:00 - Lula Rural
• 11:00 - Lula Espetacular
• 14:30 - Lula em Temperatura Máxima
• 16:00 - Moro vs Lula - reprises
• 18:00 - Domingão do Lula
• 21:00 - O Fantástico Lula

Como a demissão de Bonner e Renata, Lula e Dilma assumem a bancada do JN.

Mauro Santayana: O alvo final é Lula. O anti-petista entrega duas torres (Temer e Aécio) para derrubar o Rei (Lula)

O alvo final é Lula

Por Mauro Santayana - 18/05/2017 (371º dia do Golpe de 2016)


Aqueles que estão soltando foguetes que nos desculpem, mas não nos colocamos entre os que comemoram, efusivamente, as últimas notícias. 

Moralmente e por uma questão de princípios, em defesa da democracia, quem está contra os casuísmos e arbitrariedades jurídico-investigativas da Operação Lava Jato no caso de Lula, tem que se manter contra eles também quando atingem o campo adversário.

Até mesmo porque partem, e fazem parte da estratégia, de quem tem apenas um interesse: o seu próprio lado.

Não vemos como solução para o país um impeachment de Temer, a ser conduzido pela figura nefasta da Janaína Paschoal, que já defende essa hipótese para aparecer nos jornais, nem a convocação de eleições indiretas para a Presidência da República para as quais a mídia já especula, significativamente, citando o nome de Sérgio Moro, se “magistrado poderá ser candidato”.

Isso, em um processo a ser conduzido por um congresso majoritariamente golpista, em grande parte também investigado por uma operação cuja autoridade máxima é o próprio “chefe” da República de Curitiba.

A ideia de uma nova campanha pelas Diretas Já é correta, do ponto de vista da lógica democrática.

Mas se formos objetivos e pragmáticos, considerando a atual situação política, retira tempo precioso da oposição, que poderia ser utilizado, caso as eleições se fizessem normalmente em 2018, para que Lula se recuperasse e refizesse – aproveitando a crescente impopularidade do governo Temer e denunciando e esclarecendo as mentiras de que tem sido alvo – sua relação com a opinião pública e seu caminho para a Presidência da República.

Uma eleição agora, mesmo que direta, pode jogar o poder no colo de Jair Bolsonaro, apoiado pela sensação de caos institucional, pela condição de não estar sendo processado pela Lava Jato, e, caso chegue ao segundo turno, como as pesquisas indicam, por uma aliança que abrangeria da extrema-direita a setores mais oportunistas do próprio PMDB e do PSDB, passando pelo “centro” fisiológico dos partidos nanicos conservadores, unida pelo objetivo comum de evitar, a qualquer custo, que o PT e sua “jararaca” voltem à Presidência da República.

Finalmente, a leitura mais correta é de que os principais alvos das mais recentes manobras da “justiça” não sejam nem Temer nem Aécio, por mais implacáveis que sejam, contra ele, os juízes e procuradores.

As acusações contra os dois foram forjadas – já que se tratam claramente de arapucas propositadamente montadas – como forma de abrir caminho, definitivamente, para a condenação de Lula.

A percepção da população de que a Justiça e o Ministério Público estavam sendo totalmente seletivos e parciais no trato dos gregos com relação aos troianos vinha crescendo a olhos vistos nas últimas semanas, e aumentava, na mesma proporção, a popularidade e as intenções de voto do ex-presidente da República, especialmente depois de seu depoimento em Curitiba e da absurda proibição de funcionamento do seu instituto.

Com as acusações contra Temer e Aécio, o anti-petismo entrega duas torres para capturar e eliminar o Rei que odeia e persegue, sem êxito, há tanto tempo.

A partir de agora, ninguém pode mais dizer que a Operação Lava Jato só atinge o PT, enquanto afaga seus adversários.

E Lula poderá então, ser condenado “exemplarmente” por Moro, aproveitando-se o caos político que tomará conta do país nas próximas semanas, sendo definitivamente impedido de voltar por via eleitoral ao Palácio do Planalto, tanto agora, em eventuais “Diretas Já”, como em 2018.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Enquanto a população é manipulada pelo "triplex", Temer vem destruindo seus direitos

SOBRE MARISA E O BRASIL

Por Cris Penha - Via Facebook - 12/05/2017 (365º dia do Golpe de 2016 ) 
Charge Jota Camelo - Inca Venusiano
No primeiro depoimento de Lula ele disse a mesma coisa que disse no segundo. Nesse primeiro momento ninguém acusou Lula de culpar a esposa. Quando Marisa morreu muitos aqui comemoraram. A imprensa detonou Marisa. No segundo depoimento, igual ao primeiro, inventaram que Lula culpou Marisa já que nenhuma prova foi apresentada contra Lula e a imprensa precisava achar um motivo para atacar. A mesma imprensa e as mesmas pessoas que atacaram Marisa agora aparecem como defensores dela. Uma loja que tem o mesmo nome dela faz uma campanha suja e alguns acham graça. Uma revista conhecida pelo ódio e pelas mentiras faz uma capa oportunista. O nível da manipulação, do ódio, da baixaria que tomou o país é o que impede que haja um diálogo entre os dois lados. Isso seria importante pra tirar o país da crise, pois a verdade é que nenhum desses grandes partidos tem mais o monopólio da honestidade, menos ainda essa imprensa. O sistema político faliu há tempos.

O problema é que insistem em culpar apenas um partido por tudo e centralizam a culpa em Lula e Dilma, enquanto outros hoje no poder são acusados de receber valores exponencialmente superiores ao triplex. E Dilma nem acusada de receber dinheiro é. Pessoas no poder com patrimônios que incluem fazendas, TVs, rádios, empresas e não um suposto triplex meia boca. Enquanto a população se divide por essa manipulação, o governo Temer, há um ano no poder, vai destruindo direitos trabalhistas, previdenciários, políticas sociais, de meio ambiente, do índios, tudo com a justificativa de modernização do país. Mas pra quem? Para o Pato Amarelo claro.

Um ano deveria ser mais que suficiente pra entender o objetivo por trás do impeachment, que as gravações de Jucá anteciparam. Mas infelizmente muitos que serão atingidos ainda não perceberam que são apenas peões num complexo jogo de xadrez, onde a disputa não é em torno do fim da corrupção, mas sim do modelo de país que se quer: um desenvolvido para poucos, como foi até 2002 e outro desenvolvido para todos como começou a ser feito a partir de 2003 a duras penas e com muita resistência de quem quer manter esse país no atraso. Essa é a realidade dos fatos que muitos não conseguem e nem querem enxergar.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Vem.aí: LULA vs MORO, exclusivo na GLOBO, na voz de Galvão Bueno, direto da República de Curitiba.

LULA vs MORO será narrado por Galvão Bueno, com exclusividade pela GLOBO

Comprado pela Globo, o evento promete entrar para a história como o Super Bowl brasileiro. Um time peso-pesado de comentaristas e especialistas narrarão a "luta" ao lado de Galvão Bueno.

Da Redação - Causa-me Espécie - 08/05/2017

Super Bow - Brazil
Globo adquire os direitos de transmissão de "MORO vs LULA - Quem vai a nocaute?", segundo capa e reportagem da revista ISTOÉ, previsto para quarta-feira, 10 de maio, direto da 13ª Vara - Fórum de Curitiba, se não houver novo adiamento.

Além da TV aberta (sic), o "duelo" também será transmitido pelos canais por assinatura das Organizações (sic) Globo, como SporTV e canais premiere pay-per-view, como mesa redonda, tomadas exclusivas dos locais da "luta", acompanhando a chegada dos apoiadores pró-Lula e pró-Moro, etc.

Isso pode, Arnaldo?
A transmissão será narrada por Galvão Bueno, acompanhado de Arnaldo Cezar Coelho, Janaína Paschoal, Maguila, Ronaldo Fenômeno (sic), Diogo Mainardi, e Merval Pereira, especialistas que analisarão os lances mais polêmicos.

Em um dos canais teremos as "Meninas do Jô" e Jô Soares, analisando o depoimento ao vivo. Como os melhores momentos, à noite, no canal aberto.

Vai Pra Curitiba
Em outro canal exclusivo teremos Dória PrefeiTOP, cobrindo o Red Carpet, com entrevistas TOP na chegada de Lula, Moro, advogados, promotores, celebridades, sub-celebridades e claque.

Chupa Duvivier!
Provando que é bem humorado e provocando Gregório Duviver, que o chamou de "prefeito Village People" na Folha de SP, Dória mostrará seu lado gestor da nova era que faz de uma piada uma oportunidade de marketing: irá vestido de policial, cowboy, ou índio. A conferir.

Brasileiros em Nova York poderão dirigir-se à Time Square e assistir por um telão ou pela Globo Internacional.

JN será exclusivo para "MORO vs LULA", seguindo os pilares dos princípios editorias da emissora: a isenção, a correção e a agilidade (sic!).

PLIM PLIM

Todas as cotas de patrocínio foram adquiridas pelo Governo Federal para divulgação de vídeos pró-reformas da Previdência e CLT. Príncipe Philip, esposo da Rainha Elizabeth, que acaba de se aposentar aos 95 anos e Sílvio Santos, com 86 anos e ainda na ativa, serão os garotos-propagandas.

Cala Boca, Galvão!
Precavida, a Globo não colocará repórter nas ruas próximas ao "ringue", fazendo apenas imagens aéreas captadas por drones e satélites cedidos pela CIA. Evitando ao máximo captar imagens de faixa e cartazes de protestos como: CALA BOCA, GALVÃO, #LULA2018, MORRER SEM APOSENTAR, GLOBO GOLPISTA, FORA TEMER, MANDA NUDE, etc.

Segundo fonte anônima, Galvão pretende no final soltar o seu famoso grito: "ACABOU! ACABOU! ACABOU! ACABOU!".
Ainda não se sabe quem será o juiz da "luta".

iiiiiiiiiiiiiiit's time!


domingo, 7 de maio de 2017

Os quartéis generais dessa nova Ditadura do século XXI são a Rede Globo de Televisão e a Operação Lava-Jato.

A DITADURA MIDIÁTICA JUDICIAL

Por Carlos D'Incao - Via Facebook - 06/05/2017

A perversidade da grande imprensa brasileira mereceria mais do que um artigo, mas uma enorme enciclopédia. Afinal, ela consegue ser a representação de tudo o que há de errado e que deveria ser erradicado em nosso país.

Ao longo do século XX, as emissoras de televisão, já tentavam manipular seus telespectadores com imagens, notícias distorcidas, meias verdades, sofismas, além de mentiras em seu estado "puro".

No século XXI, porém, temos uma mudança qualitativa que poucos perceberam.

Os grandes meios de comunicação ainda continuam a fazer suas tradicionais manipulações, mas agora adicionaram um elemento até então inédito: eles começaram a DITAR os sentimentos e as posições que os telespectadores devem ter sobre as notícias, os fatos e diante dos seus espetáculos midiáticos.

Iniciou-se literalmente a DITADURA dos grandes meios de comunicação.

Nessa Ditadura não há espaço para qualquer reflexão. Tudo é determinado pela narrativa imposta pela emissora. No passado havia notícias que tentavam levar o espectador a tirar determinadas conclusões pontuais.

Hoje as notícias já inserem, em sua narrativa, a conclusão e o sentimento que se quer obter dos cidadãos, sem que haja qualquer margem para questionamentos ou qualquer outra interpretação dos fatos.

Podemos citar aqui um caso (fictício): "José foi assaltado e um suspeito foi capturado". No passado esse episódio poderia gerar uma notícia com o objetivo de se criticar a segurança pública, levando a população a se opor a um determinado político, por exemplo... Essa era a "manipulação clássica" do século XX.

Hoje há uma diferença substancial. A emissora produz uma espécie de "novelinha": José é retratado como um cidadão honesto e pacato... Cria-se então uma encenação (dramatização) onde ele é assaltado por uma "pessoa do mal", maligna e sem consideração.

Por fim, surgem "os heróis" - a polícia militar - que no cumprimento de seu nobre dever, acaba prendendo o terrível vilão. Como encerramento da "novelinha", narra-se ainda o suposto sentimento de medo que a população está sentindo e a indiferença daqueles que estão no poder...

Perceba que na Ditadura dos grandes meios de comunicação, tudo já está determinado na narrativa: quem é a vítima, quem é o culpado, quem é o herói, quem é o vilão, quem está do lado do bem e quem está do lado do mal.

O fato de o capturado ser apenas um suspeito, a suposta vítima ser apenas parte de um processo onde caberá produção de provas, investigação, denúncia, amplo direito de defesa e, enfim, um julgamento que condenará ou absolverá o réu... isso tudo pouco importa... Pois a realidade dos fatos não está em pauta.

O que está em pauta é um processo ardiloso de doutrinação da população que deve aprender a seguinte lição: A mídia é quem possui o monopólio da verdade dos fatos. Ela - e somente ela - é quem pode julgar e condenar, apontar quem são os culpados e os inocentes, os honestos e os corruptos, se a crise está acabando ou apenas começando, se o protesto foi legítimo ou se foi obra de baderneiros, se a polícia foi violenta ou se ela foi "provocada".

E a Ditadura dos meios de comunicação agora conta com um substancial apoio: o Poder Judiciário. Juntos (Mídia e Judiciário) estão estabelecendo uma nova ditadura - como nunca se viu antes em nossa História - a Ditadura Midiática Judicial.

A mesma lógica imposta nos noticiários do cotidiano agora é aplicada em uma dimensão muito maior: na narrativa da mídia, Lula é o mal, Moro é o bem, Lula é culpado e os delatores (alguns condenados a mais de 50 anos) são inocentes, PT e suas lideranças são os bandidos e os promotores do Power Point são os heróis, etc, etc, etc...

Os quartéis generais dessa nova Ditadura do século XXI são a Rede Globo de Televisão e a Operação Lava-Jato. Por essa razão todos os setores democráticos devem denunciar e contra-atacar de forma impiedosa e incessante esses dois bastiões do neofascismo brasileiro.

Na operação Lava-Jato não há promotores e nem juizes, mas perniciosos fascistas com o propósito de se valer de todos os mecanismos judiciais existentes para esmagar toda e qualquer força democrática que existe nesse país.

Da mesma forma, na Rede Globo não há nenhum jornalista, cinegrafista ou fotógrafo. São todos soldados que lutam com todas as suas forças para garantir a perpetuação de sua dominação ideológica por toda a nação, enterrando de vez qualquer possibilidade de construção de uma sociedade livre e pensante.